Seja bem-vindo

DADOS DA SUA CONEXÃO

Seu IP:
54.234.128.25

Seu Navegador:
 
Favoritos
Página Inicial
Contra-Cheque
Portal do Serv. PR
Banco do Brasil
Gestão Pública
Polícia Federal
Polícia Rod. Federal
Polícia Militar
Bombeiros Cvel
Polícia Civil
Sindicato - Sindipol
Sindicato - Sinclapol
OAB - Cascavel
Magistrados - PR
Prefeitura Cascavel
Receita Federal
Detran - PR
TV Tarobá
Câmara dos Deputados aprova adicional de periculosidade para policiais e bombeiros militares

Câmara dos Deputados aprova adicional de periculosidade para policiais e bombeiros militares

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 6307/09, do deputado federal Mauro Nazif (PSB-RO), que cria adicional de periculosidade de 30% sobre a remuneração para policiais e bombeiros militares dos estados e do Distrito Federal.

Conforme a proposta, terá direito ao benefício o militar que comandar ou exercer, durante pelo menos 25% de sua jornada de trabalho, funções consideradas perigosas, como patrulhamento ostensivo, transporte de presos e combate a incêndio, entre outras.

Segundo a relatora, deputada federal Andreia Zito (PSDB-RJ), a concessão de adicional de periculosidade é um ato de justiça aos policiais militares e aos bombeiros militares, “cotidianamente expostos a situações de risco no exercício de suas funções”.

Ela lembrou que policiais arriscam suas vidas em confronto com bandidos fortemente armados e os bombeiros em combate a incêndios e em operações de busca e salvamento. “A proposta vem corrigir uma omissão do poder público”, disse Andreia Zito.

Durante os afastamentos legais de até 30 dias e naqueles decorrentes de acidente em serviço ou doença contraída no exercício da função, os militares continuarão a receber o adicional.

Também receberão o benefício os profissionais, em treinamento, que executarem ações com tiros, explosivos ou inflamáveis.

A proposta altera o Decreto-Lei 667/69, que trata da organização de policiais e bombeiros militares nos estados e no Distrito Federal.

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, já foi aprovada pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça; e de Cidadania.

Rito de tramitação conclusivo é um processo pelo qual o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo. O projeto perderá esse caráter em duas situações: - se houver parecer divergente entre as comissões (rejeição por uma, aprovação por outra); - se, depois de aprovado ou rejeitado pelas comissões, houver recurso contra esse rito assinado por 51 deputados (10% do total). Nos dois casos, o projeto precisará ser votado pelo Plenário.

Pela proposta, são atividades perigosas: - policiamento ou patrulhamento ostensivo; - guarda de postos policiais ou prédios públicos; - operações de preservação da ordem pública em eventos e manifestações; - ações de intervenção tática; - garantia do poder de polícia de órgãos públicos; - custódia, guarda, escolta ou transporte de presos; - proteção de autoridades; - inteligência e contrainteligência; - combate a incêndio; - busca, salvamento e resgate; e - operações de defesa civil.

As informações são da "Agência Câmara de Notícias'.

PEC DE LEMOS FIXA JORNADA D
PEC de Lemos fixa jornada de 40 horas a PM´s e bombeiros
APCS/PR CONTRATA PLANO DE S
APCS/PR CONTRATA PLANO DE SAÚDE.
PROJETO DE LEI QUE ISENTA D
Projeto de Lei que isenta de pagamento de indenizações
Noticias especiais
Noticias gerais
Conheça o NIÓBIO, o minério mais valioso do mundo, e é nosso!
Leia e insira comentários
Leia os editores
cadastre-se para receber noticias
Arquivos de leis e documentos
Entre em contato conosco
avisos importantes
Um pouco de humor

REGIME DE EMAGRECIMENTO

- Doutor, como eu faço para emagrecer ?
- Basta a senhora mover a cabeça da esquerda para direita e da direita para esquerda.
- Quantas vezes, doutor ?
- Todas as vezes que lhe oferecerem comida.
Para refletir

Dois seres Humanos não podem passar meia hora juntos, sem que um deles não tente conquistar uma superioridade em relação ao outro.